sexta, 22 Set 2017, 06:49
Site: FATTO Consultoria e Sistemas
Curso: FATTO Consultoria e Sistemas (FATTO)
Glossário: Glossário da Análise de Pontos de Função
A

ADD

(Última edição: quinta, 24 Mai 2012, 13:50)
É a contagem de pontos de função das funções que foram instaladas pelo projeto de desenvolvimento, na fórmula:

desenvolvimento: AFPA = ADD

ou

É a contagem de pontos de função para as funções que foram incluídas pelo projeto de melhoria, na fórmula:

projeto de melhoria: EFP = ADD + CHGA + CFP + DEL

aplicação, após melhoria: AFPA = (AFPB + ADD + CHGA) - (CHGB + DEL)

ADD = added

AFPA

(Última edição: terça, 22 Mar 2011, 12:41)
É a contagem de pontos de função após o projeto de melhoria.

AFPA (After Function Point Analisys) é usada na fórmula do tamanho funcional da aplicação após a melhoria .

AFPA = (AFPB + ADD + CHGA) - (CHGB + DEL).

Utilize a seguinte fórmula para calcular o tamanho funcional ajustado da Aplicação após o projeto de melhoria:

aAFPA = [(AFPB + ADD + CHGA) - (CHGB + DEL)] * VAFA

AFPB

(Última edição: terça, 22 Mar 2011, 12:46)
É a contagem de pontos de função antes o projeto de melhoria (Application Function Point Before - AFPB).

Essa sigla é usada na fórmula para calcular o tamanho da aplicação após a melhoria.

AFPA = (AFPB + ADD + CHGA) - (CHGB + DEL).

Utilize a seguinte fórmula para calcular o tamanho funcional AJUSTADO da Aplicação após o projeto de melhoria:

aAFPA = [(AFPB + ADD + CHGA) - (CHGB + DEL)] * VAFA

Alteração do comportamento do sistema

(Última edição: quarta, 1 Jul 2009, 14:14)
Modificar o comportamento do sistema significa alterar um parâmetro de negócio (através de alguma transação). O efeito causado por esta mudança no parâmetro tem reflexo no comportamento de outras transações.  Exemplo: o sistema de compras dá autonomia para que cada comprador possa efetuar compras de até R$10.000,00 no mês sem autorização da chefia. Este valor é um parâmetro do sistema e quando for alterado afetará as transações de compra, ou seja, irá alterar o comportamento do sistema.

Análise de Pontos de Função

(Última edição: segunda, 11 Mai 2009, 23:21)

Método padrão para medir software do ponto de vista do usuário pela quantificação da funcionalidade fornecida. 

Objetivos da Técnica:
- Medir a funcionalidade que o usuário solicita e recebe;
- Medir o desenvolvimento e manutenção de software de forma independente da tecnologia utilizada para sua implementação.

Objetivos do Processo de Contagem:
- Ser simples o suficiente para minimizar o esforço adicional envolvido no processo de medição;
- Uma medida consistente entre vários projetos e organizações.

Benefícios da APF:
- Determinar o tamanho de um pacote adquirido;
- Ajudar usuários a determinar os benefícios de um pacote para sua organização;
- Suportar a análise de produtividade e qualidade;
- Estimar custos e recursos para desenvolvimento e manutenção de software;
- Fator de normalização para comparação de software.

Analista de Métricas

(Última edição: terça, 20 Abr 2010, 15:54)

Profissional responsável pelas medições, pode ser ou não certificado CFPS.

Aplicação

(Última edição: segunda, 2 Ago 2010, 16:41)

Um conjunto coeso de procedimentos automatizados e dados suportando um objetivo de negócio. Consiste de um ou mais componentes, módulos ou subsistemas. Frequentemente usado como sinônimo para Sistema, Sistema de Informação ou Sistema Aplicativo.


Exemplos: contas a pagar, contas a receber, folha de pagamento, compras, produção de loja, controle de linha de montagem, radar de busca aérea, acompanhamento de alvo, acionamento de armas, programação de aeronaves e reservas de passagens.

Arquivo

(Última edição: quarta, 1 Jul 2009, 11:23)
No contexto da APF o termo arquivo (ou arquivo lógico) não possui o mesmo significado do sentido tradicional de processamento de dados. Neste caso,  refere-se a um grupo lógico de dados ou informações de controle, e não à implementação física destes. É classificado em ALI ou AIE.

No contexto de modelagem de dados um arquivo é uma coleção de registros de um mesmo tipo.

Arquivo de Interface Externa

(Última edição: sexta, 23 Jul 2010, 11:30)

Um arquivo de interface externa (AIE) é um grupo de dados ou de informações de controle logicamente relacionados, reconhecido pelo usuário, referenciado pela aplicação que está sendo contada, porém, mantido dentro da fronteira de uma outra aplicação. A intenção primária de um AIE é armazenar dados referenciados através de um ou mais processos elementares dentro da fronteira da aplicação que está sendo contada. Isto significa que um AIE contado para uma aplicação deve ser um ALI em outra aplicação.

Exemplo: o sistema de Faturamento possui algumas transações que precisam buscar informações relativas a cliente. Mas os dados de cliente não são mantidos pelo sistema de Faturamento, isto é responsabilidade do sistema de Cadastro. Logo para o sistema de Faturamento, Cliente é um AIE. Para o sistema de Cadastro, Cliente é um ALI.

Arquivo de movimento

(Última edição: quarta, 9 Mai 2012, 16:36)

Também chamado de arquivo de transações ou arquivo de interface (não confundir com AIE). É um arquivo no contexto do sistema operacional, mas não no contexto da APF.

Este arquivo é fruto do processamento de uma aplicação e cujo objetivo é enviar dados para outra aplicação processar. Geralmente após seu processamento, ele é descartado.

Uma diferença entre o AIE e o arquivo de movimento é que no AIE o sistema que usa os dados pode (e geralmente é assim) consultar o mesmo dado mais de uma vez. No arquivo de movimento, uma vez que o dado é processado, o sistema nunca mais lerá este mesmo dado do arquivo de movimento.

Exemplo: um sistema de folha de pagamento, após o cálculo da folha, envia um arquivo para o banco efetuar o crédito do salário na conta dos funcionários. Este arquivo foi resultado de um processamento da folha de pagamento e será usado pelo sistema de pagamento do banco para efetuar o crédito dos salários. Após este processamento, o arquivo de movimento perde sua utilidade.

Um arquivo como esse não é contado como um AIE porque não atende à regra de ser um ALI em outra aplicação.

Veja o cenário 8 do CPM (Dados Padrão de Transação) Capítulo 3, Parte 3, Pág (3-20)